Flamengo consegue se manter por até três meses sem jogar


O Flamengo divulgou hoje seu balanço financeiro de 2019 e fez a projeção de que é possível ficar até três meses sem maiores danos diante da pandemia do novo coronavírus.

O time carioca registrou receita bruta recorde no ano passado: R$ 950 milhões. O superávit foi de R$ 62 milhões.

“Em relação a pandemia do COVID 19 que se alastrou pelo mundo e começou a impactar a região em meados de março, a Administração do CRF fez um teste de stress usando as informações disponíveis e projetando um cenário de interrupção de jogos por até 3 meses. A conclusão é de que os impactos financeiros são absorvíveis e não representam risco de continuidade nas operações. Acredita-se que a situação é transitória e que as receitas do clube, com exceção de bilheteria não sofrerão alterações significativas neste período, podendo ser compensados ainda ao longo do ano.”

O Antagonista

Secretaria de Saúde confirma segunda morte por coronavírus no RN


A Secretaria Estadual da Saúde Pública e a Secretaria Municipal de Saúde de Natal confirmaram na noite desta terça (31) a segunda morte por coronavírus no Rio Grande do Norte. A vítima é Matheus Aciole, de 23 anos. O óbito ocorreu no início da noite desta terça-feira (31), em Natal. Na noite desta terça-feira (31), o resultado do exame foi positivo para Covid-19.

De acordo com a Sesap, o paciente, com quadro de obesidade, deu entrada em um hospital privado, no dia 24 de março. Matheus foi examinado e liberado para voltar para casa para continuidade de medicações prescritas.

Ainda segundo informações das secretarias, Matheus manteve-se isolado por dois dias, mas não apresentou melhora. Ele procurou o serviço público de saúde no dia 27 de março quando foi atendido e realizou o teste para a doença.

Primeira morte no RN

A primeira morte por coronavírus no Rio Grande do Norte aconteceu no dia 28 de março. O professor universitário Luiz Di Souza morreu após passar sete dias internado em Mossoró. Ele tinha 61 anos e era diabético.

G1/RN

Em novo pronunciamento, Bolsonaro muda o tom e fala em pacto contra pandemia


Em seu quarto pronunciamento sobre a crise do novo coronavírus, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) mudou o tom de seu discurso e pediu um pacto nacional para o enfrentamento à pandemia.

Depois de criticar em sua última aparição em TV gestores locais pelas medidas de isolamento social, além de culpar a mídia por espalhar pânico na população, ele pregou nesta terça-feira (31) a junção de esforços. “Agradeço e reafirmo a importância da colaboração e a necessária união de todos num grande pacto pela preservação da vida e dos empregos: Parlamento, Judiciário, governadores, prefeitos e sociedade”, declarou.


Se em outras ocasiões comparou a doença a uma gripezinha e a um resfriadinho, Bolsonaro desta vez disse que o país enfrenta um grande inimigo. “Estamos diante do maior desafio da nossa geração. Minha preocupação sempre foi salvar vidas.”

“Temos uma missão: salvar vidas sem deixar para trás os empregos. Por um lado, temos de ter cautela e precaução com todos, principalmente junto aos mais idosos e portadores de doenças preexistentes. Temos de combater o desemprego, que cresce rapidamente, em especial entre os mais pobres. Vamos cumprir essa missão, ao mesmo tempo em que cuidamos da saúde das pessoas”, afirmou Bolsonaro nesta terça.

No pronunciamento anterior, o presidente foi explícito na defesa do chamado isolamento vertical, restrito a idosos e pessoas com doenças preexistentes. Nesta terça, ateve-se a expor as razões segundo as quais vem batendo nessa tecla.

Alegou ser necessário “evitar ao máximo qualquer perda de vidas humanas”, mas que, “ao mesmo tempo, deve-se evitar a “destruição de empregos, que já vem trazendo muito sofrimento para os trabalhadores brasileiros”.

Com informações da FOLHAPRESS

Cardiologista mais renomado do Brasil é internado com coronavírus

O cardiologista Roberto Kalil Filho foi internado nesta segunda-feira, 30, no Hospital Sírio-Libanês após apresentar sintomas do novo coronavírus, a covid-19. Ele foi submetido a testes e a infecção pela doença foi confirmada. Kalil Filho, que é diretor-geral do Centro de Cardiologia do Sírio-Libanês, apresentou tosse no final de semana. Na segunda, acordou febril e a tosse tinha se intensificado. Ele continua internado, mas passa bem.

O cardiologista é o terceiro profissional renomado na área da saúde a ser diagnosticado com a doença. O primeiro foi o infectologista David Uip, coordenador do Centro de Contingência do Coronavírus em São Paulo. Em entrevista ao Estado, o infectologista afirmou que está sendo difícil ficar isolado “sabendo que o mundo está caindo na sua frente”.

No último domingo, 29, o cirurgião gástrico Raul Cutait, de 70 anos, que também está com a doença e está internado desde o dia 27, precisou ser entubado. Ele está estável, segundo o último boletim divulgado.

Cutait atua como cirurgião gástrico do próprio Hospital Sírio-Libanês, além de ser professor do Departamento de Cirurgia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) e membro da Academia Nacional de Medicina.

Ele é um dos integrantes da equipe médica que acompanha o tratamento do prefeito de São Paulo, Bruno Covas, contra um câncer.

ESTADÃO CONTEÚDO

Mais testes farão ‘explodir’ casos de coronavírus no Brasil

Os milhões de testes rápidos para identificar se a pessoa foi infectada pelo coronavírus devem provocar uma “explosão” de casos no Brasil, mas não significa que a pandemia saiu do controle. O alerta é do ministro Luiz Henrique Mandetta (Saúde) usando o exemplo dos EUA, que assumiu a liderança mundial de casos dias depois de dar início a testes em massa na população e incluiu a grande maioria dos infectados, que contraem o vírus e se curam sem apresentar sintomas.

Mandetta duvida do caso da China, que tem 81 mil casos oficiais em 1,5 bilhão de habitantes. “Vocês acham mesmo?”, disse. Apesar do salto expressivo, problema real é a taxa de letalidade, que está abaixo de 2% e continua caindo com o aumento dos testes.

Se seguir o padrão observado nos EUA, é de se esperar que o total de casos no Brasil, com testes em massa, quadruplique em uma semana.

CLÁUDIO HUMBERTO

MPF emite nota sobre ofícios enviados ao município de Caico

NOTA:

O Ministério Público Federal em Caicó esclarece que tem agido para auxiliar na tentativa de evitar que a pandemia do novo coronavírus (COVID-19) alastre-se ainda mais nos 23 municípios sob sua atribuição territorial e, paralelamente, buscar meios para garantir às unidades de saúde da região (destaque para os Hospitais Regionais de Caicó e Currais Novos) condições de atender, satisfatoriamente, a demanda surgida pelo crescente número de casos suspeitos da doença na região.
A Organização Mundial de Saúde (OMS), com fundamento médico-científico, classifica o isolamento social como a principal medida de prevenção ao contágio pela COVID-19.

Em nível federal, reconheceu-se desde 20 de março de 2020 o estado de calamidade pública e da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente do novo coronavírus (Decreto Legislativo nº 927) e vigora desde 6.2.2020 a Lei nº 13.979, que dispõe sobre as medidas para o enfrentamento da pandemia, dentre as quais as de isolamento e quarentena (arts. 2º e 3º).

No Rio Grande do Norte, foram editados decretos em 20 e 24 de março de 2020 (Decreto Estaduais nº 29.541 e 29.556, respectivamente) que, para arrefecer a pandemia, limitaram a circulação de pessoas, ante a suspensão do funcionamento de vários estabelecimentos comerciais e determinação para que se evitem “aglomerações” (no primeiro decreto o limite foi fixado em 50 pessoas, que passou a ser de 20 pessoas no decreto seguinte).
Em 21 de março de 2020, após o Decreto nº 29.541 ser editado e a partir de notícia sobre a existência de aglomeração no centro urbano na cidade de Caicó, a unidade do MPF na região expediu duas recomendações dirigidas aos Comandos do Corpo de Bombeiros Militar e à Polícia Militar do RN, para que intensificassem em Caicó (Recomendação nº 03/2020, assinada em conjunto com o MP/RN) e demais municípios do Seridó (Recomendação nº 02/2020, subscrita apenas pelo MPF) a fiscalização em torno do necessário cumprimento das restrições impostas pelo citado decreto. Para acompanhar os desdobramentos das duas recomendações foi instaurado o Procedimento Administrativo nº 1.28.200.000026/2020-17.

Ao editar o Decreto nº 29.556, o Governo do Estado permitiu a reabertura de qualquer loja e atividade comercial condicionada à não utilização de sistema artificial de circulação de ar (excetuados os estabelecimentos destinados à comercialização de alimentos, medicamentos e de atividades essenciais) e à adoção de medidas de proteção aos seus funcionários e clientes, como a colocação de anteparo de proteção aos caixas e embaladores e a organização das filas com espaçamento mínimo de 1,5m entre os clientes (art. 2º).
Portanto, nos termos da regulamentação estadual vigente, a reabertura do comércio está condicionada a requisitos que, se desatendidos por determinado estabelecimento comercial, desautoriza o seu funcionamento.

Considerando as notícias amplamente veiculadas em meios de comunicação locais de que a Casa do Empresário de Caicó vem orientando os associados a retomarem suas atividades, bem assim de que a Prefeitura de Caicó teria estimulado a reabertura “normal” e, portanto, de forma irrestrita do comércio local, o MPF em Caicó expediu ofícios ontem, 30 de março de 2020, ao Município de Caicó e à Casa do Empresário para que justificassem a decisão, aparentemente conjunta, de autorizarem a reabertura irrestrita do comércio em Caicó e, mais que isso, demonstrassem que os estabelecimentos reabertos obedecem as condições impostas nos dois decretos estaduais e no decreto federal que regulamentam a matéria.

Ao requisitar, nos ofícios, que “comprovem ter tornado sem efeito essa pretensa ‘recomendação’ e garantindo, por conseguinte, a imediata suspensão das atividades de todos os estabelecimentos cujo funcionamento não foi autorizado ou se dê em desconformidade com os dois referidos decretos estaduais”, o MPF reforçou, tão somente, a importância de se coibir o funcionamento dos estabelecimentos comerciais desautorizados a funcionar pelos decretos ou que descumpram às condicionantes impostas.

A atitude da Casa do Empresário, de emitir nota explicativa orientando que a reabertura do comércio com o registro no documento de que isso se dê respeitando as medidas de prevenção ao contágio da doença é importante e merecedora de reconhecimento, mas não é suficiente. É imprescindível também que zele, como categoria de classe que é, pela observância dessas medidas na prática. Trata-se de imprescindível medida de prevenção a uma doença de fácil contágio e com altos índices de letalidade.

Sendo assim, importa esclarecer que o MPF em Caicó não está “mandando” fechar o comércio de Caicó (nem tem poderes para isso), mas está, sim, empenhado para agir, dentro de suas atribuições, no sentido de minimizar ao máximo o contágio. Embora possível, reabrir o comércio não deve ser encarado como um efeito automático da orientação da Casa do Empresário. É imprescindível que os estabelecimentos cumpram as medidas de prevenção.

Além dessa frente de atuação, o MPF instaurou o Procedimento Administrativo nº 1.28.200.000028/2020-14, no qual instou os citados 23 municípios da região a informar o atual saldo das receitas obtidas em razão do leilão do excedente da cessão onerosa do pré-sal, aportadas em cada município no fim do ano passado. Nos mesmos ofícios, o MPF indaga cada prefeito a declarar se há possibilidade de aplicar o saldo dessas verbas em ações relacionadas ao combate à pandemia, fundamento do estado de calamidade que tanto preocupa esses gestores municipais. Tais recursos, na forma lei, devem ser aplicados em duas ações específicas, uma das quais consiste em investimentos (sem área especificada), o que comportaria, pois, o uso desses valores na aquisição de bens que suprissem as unidades de saúde da região, principalmente os hospitais de referência.
Expõe o MPF em Caicó, assim, suas duas linhas de atuação relacionadas ao enfrentamento à pandemia do novo coronavírus na região do Seridó. Tornando públicas suas ações, por enquanto limitadas à seara extrajudicial, pretende o Ministério Público Federal esclarecer à população os esforços que vem sendo feitos no exercício de sua função constitucional de promover o necessário para minimizar a crise de saúde pública na região, não se descuidando, por outro lado, da repercussão social das medidas adotadas.
Caicó, 31 de março de 2020.
MARIA CLARA LUCENA DUTRA DE ALMEIDA
Procuradora da República

Prefeito Batata garante que não incentivou abertura de comércio em desacordo com decretos


Quem conversou com a nossa reportagem foi o prefeito de Caicó,  Robson de Araujo,  e sobre os questionamentos feitos pelo MPF ele garantiu que não recomendou a abertura de comércios que estejam em desacordo com os decretos estaduais de combate ao coronavírus.

Batata disse que abriu algumas áreas como mercado,  açougue e feira livre que inicialmente não sem enquadram nos decretos e que mesmo assim promoveu uma série de normas para que esses locais possam funcionar sem grandes aglomerações. 

O ofício do MPF será respondido com as medidas tomadas quanto a esses locais e se houver entendimento diferente quando ao seus funcionamentos novas medidas serão tomadas mediante o entendimento do órgão ministerial. 

MPF quer fechamento imediato de comércio de Caicó em desacordo com decretos


O Ministério Público Federal expediu ofício a Prefeitura de Caicó, objetivando que o Prefeito, Robson Araujo, torne sem efeito qualquer recomendação que incentive sobre abertura e funcionamento de comércios que estejam em desacordo com os decretos estaduais 29.541, de 20.3.2020, e 29.556, de 24.3.2020.

O MPF deu 24h para o prefeito se posicionar sobre a pretensa “recomendação” de abertura do comércio e que ele garanta, por conseguinte, a imediata suspensão das atividades de todos os estabelecimentos cujo funcionamento não foi autorizado ou se dê em desconformidade com os dois referidos decretos estaduais.

RN tem 77 casos de COVID19 confirmados


O Rio Grande do Norte passa a ter 77 casos de pessoas com o novo coronavírus. As cidades com casos confirmados são Natal (36), Mossoró (16), Parnamirim (10), Assú (1), Apodi (1), Caicó (1), Carnaubais (1), Luís Gomes (1), Macaíba (1), Monte Alegre (1), Passa e Fica (1), São Gonçalo do Amarante (2), São José de Mipibu (1), Tibau (1).
Há ainda dois casos confirmados de pessoas residente, respectivamente, na cidade de Recife e de Fortaleza, que foram atendidas no RN.
O boletim epidemiológico na íntegra, com os dados atualizados, está disponível no site saude.rn.gov.br.  http://www.adcon.rn.gov.br/ACERVO/sesap/DOC/DOC000000000228171.PDF
📌Lembre-se: higienize as mãos sempre que necessário com água e sabão ou álcool em gel.

Professor da UERN é primeira morte por coronavírus no RN

A Secretaria de Estado da Saúde Pública e a Secretaria Municipal de Saúde de Mossoró acabam de confirmar, na noite deste sábado (28/03), o primeiro óbito pelo novo coronavírus no Rio Grande do Norte. A vítima era o professor do Departamento de Química da UERN, Luiz Di Souza, de 61 anos, com histórico de diabetes, e que teve contato com caso suspeito.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
O paciente deu entrada em hospital privado na cidade de Mossoró no dia 21 de março, na última sexta-feira (27) teve a confirmação que estava com a Covid-19, indo a óbito na noite deste sábado. O Governo do RN e a Prefeitura de Mossoró se solidarizam com a família e desejam força para superar esse difícil momento.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
A morte de um potiguar por Covid-19 reforça o que tem sido recomendado diariamente: a população que pode, deve ficar em casa, e todos devem seguir as orientações das autoridades sanitárias. Esse período exige de cada um de nós consciência e responsabilidade.

Fonte: Portal Grande Ponto

Caicoense confirmada com coronavírus foi atendida em Natal

A Secretária Municipal de Saúde de Caicó e o Hospital Regional do Seridó, vem esclarecer que dos pacientes classificados como suspeitos do município de CAICÓ  na atenção básica e Hospital Regional ,  9 casos foram descartados e NENHUM confirmado. 

Uma paciente segue internada em isolamento no Hospital Regional do Seridó e 71 seguem em isolamento domiciliar. Cabe ressaltar que alguns aguardam resultados de exames.

Dessa forma, o caso confirmado noticiado hoje  (29/03) refere- se a paciente não atendida nos servicos de saúde municipal ou estadual em Caicó. Trata- se de paciente com endereço de Caicó,  mas que atua em Natal com residência na capital que segue bem e em isolamento domicilar. 

Ressaltamos nosso compromisso com a saúde da população e com a transparência das informações divulgadas. 

Reforçamos que o distanciamento social é a medida mais oportuna para prevenção do coronavírus.

Atenciosamente 

Secretária Municipal de Saúde de Caicó 

Direção do Hospital Regional do Seridó

Caicó,  29 de março de 2020

Urgente: Primeiro caso de Caicoense confirmada com coronavírus


O Rio Grande do Norte passa a ter 68 casos de pessoas com o novo coronavírus. As cidades com casos confirmados são Natal (34), Mossoró (16), Parnamirim (9), Assú (1), Caicó (1) OBS: (O Hospital Regional informou que o caso ocorreu com uma Caicoense que reside e trabalha em Natal), Macaíba (1), Monte Alegre (1), Passa e Fica (1), São Gonçalo do Amarante (1), São José de Mipibu (1), Tibau (1). Há ainda um caso confirmado de pessoa residente na cidade de Recife e que foi atendida no RN. 

O boletim epidemiológico na íntegra com os dados atualizados será divulgado neste domingo no site saude.rn.gov.br 📌Lembre-se: higienize as mãos sempre que necessário com água e sabão ou álcool em gel.

A Informação foi confirmada pela governadora Fátima Bezerra em sua página do Instagram.

Nota informativa Conjunta 

A Secretária Municipal de Saúde de Caicó e o Hospital Regional do Seridó, vem esclarecer que dos pacientes classificados como suspeitos do município de CAICÓ  na atenção básica e Hospital Regional ,  9 casos foram descartados e NENHUM confirmado. 

Uma paciente segue internada em isolamento no Hospital Regional do Seridó e 71 seguem em isolamento domiciliar. Cabe ressaltar que alguns aguardam resultados de exames.

Dessa forma, o caso confirmado noticiado hoje  (29/03) refere- se a paciente não atendida nos servicos de saúde municipal ou estadual em Caicó. Trata- se de paciente com endereço de Caicó,  mas que atua em Natal com residência na capital que segue bem e em isolamento domicilar. 

Ressaltamos nosso compromisso com a saúde da população e com a transparência das informações divulgadas. 

Reforçamos que o distanciamento social é a medida mais oportuna para prevenção do coronavírus.

Atenciosamente 

Secretária Municipal de Saúde de Caicó 

Direção do Hospital Regional do Seridó

Caicó,  29 de março de 2020

Álvaro Dias solicita remanejamemto de emenda de 14 milhões para enfrentamento ao COVID-19


O Prefeito de Natal, Álvaro Dias, mostra mais uma vez sua extrema preocupação com a área da saúde e o enfrentamento  ao coronavírus em Natal.

O gestor solicitou nesta quarta-feira o remanejamemto de 14 milhões de reais de emenda de bancada que seriam investidos em obras na praia de ponta negra,  para que agora possam ser investidos nas ações de enfrentamento ao coronavírus inclusive equipando um novo hospital que a prefeitura está instalando.

A solicitação foi atendida pela Bancada federal e os recursos deverão ser liberados de forma imediata.

Ministério libera 117 mil reais e Prefeitura retoma obra da praça Dom Delgado segunda feira


O governo federal por meio do Ministério do Turismo liberou nesta quarta-feira uma parcela de 117 mil reais referente ao convênio da reforma da praça Dom José Delgado.

Com o recurso em conta a Prefeitura de Caico vai retomar as obras já na próxima semana com previsão para segunda-feira o retorno da empresa a cidade de Caico.

O Prefeito Batata disse que apesar da crise financeira e de saúde continua trabalhando com os Contatos em Brasília para agilizar as liberações de recursos das obras.

Dois bandidos morrem ao trocar tiros com policiais no interior do estado

Dois bandidos morreram após trocar tiros com policiais na madrugada desta terça-feira (24) em Pendências, no interior do Rio Grande do Norte. Seis pessoas foram presas durante a ação. Os criminosos reagiram a uma operação conjunta da Polícia Militar, Polícia Civil e Polícia Federal, que busca desarticular membros de uma facção criminosa atuante no estado.

Os criminosos estavam alojados na zona rural do município. Ao notar a aproximação policial, os bandidos iniciaram diversos disparos contra as viaturas. Foi quando iniciou o tiroteio e dois criminosos foram atingidos.

Junto dos bandidos foram apreendidas armas de fogo, bala-clava e motos roubadas. Em Pendências, quatro homens foram detidos e encaminhados para a delegacia. Em continuação à operação, foram realizadas diligências também na cidade de Alto do Rodrigues, localizando mais dois suspeitos de integrarem a organização criminosa, com os quais foram encontrados mais uma arma de fogo e motocicletas que teriam sido objeto de roubo.

A operação foi desencadeada pela Força Tarefa de Combate ao Crime Organizado, atuando em colaboração com a Secretaria de Operações Integradas do Ministério da Justiça e Segurança Pública.