Agripino conduz entrega de uma das principais premiações do Senado a empresários

https://2.bp.blogspot.com/-KrEGCYAQY0w/V0Nm9xZTwJI/AAAAAAABxiA/WEq-nxL_OzMt5wfYzqyG4lf1A9DODZ_OACLcB/s1600/_DSC8918.JPG 
 
Um dos principais incentivadores e defensores do empreendedorismo no Brasil, o senador José Agripino (RN) conduzirá, nesta terça-feira (24), às 11h, no plenário do Senado, a entrega do Diploma José Ermírio de Moraes. O prêmio é entregue todos os anos pela Casa a empresas e empresários que contribuíram para a economia nacional e o progresso do país. Entre os homenageados deste ano estão os empresários Abílio Diniz, Jandir José Milan e José Augusto Vieira.

“Eu sou um defensor convicto de que o empreendedorismo é o principal caminho para promover o desenvolvimento de um país, gerando emprego e oportunidade de crescimento pessoal e profissional. Um país só é forte se incentiva seus empresários e dá a eles condições de crescer e produzir”, destacou o senador.

No Senado, Agripino é autor de projetos de lei que estimulam o empreendedorismo no Brasil. Um deles, que disciplina a criação e organização das empresas juniores no país, já foi sancionado, após anos de luta do senador. Outro projeto, já em tramitação no Congresso, disciplina a criação de startups - empresas iniciantes e inovadores, principalmente de base tecnológica, fundadas por jovens que transformam boas ideias em empreendimentos lucrativos.

O prêmio

Criado em 2009, o Diploma José Ermírio de Moraes já premiou nomes como Jorge Gerdau Johannpeter, Francisco Ivens de Sá Dias Branco e o ex-vice-presidente José Alencar Gomes da Silva, entre outros. O Rio Grande do Norte também já foi homenageado na premiação. Em 2015, por indicação do senador José Agripino, o Diploma foi entregue ao empresário potiguar Nevaldo Rocha, fundador do Grupo Guararapes. Na ocasião, a comenda foi recebida pelo filho do empresário, Flávio Rocha, que é CEO do Grupo Riachuelo.

José Ermírio de Moraes nasceu em Pernambuco em 1900. Foi eleito senador, em 1962, e ministro da Agricultura do presidente João Goulart. Com o golpe militar, foi atacado por suas posições e retornou ao Senado, onde ficou até o final do mandato, em 1971. Faleceu em 1973, deixando como legado um dos maiores grupos empresariais do país, composto por 46 empresas.

0 comentários: