Polícia Civil apreende quase 1.400 comprimidos de ecstasy que eram enviados pelos Correios


A Delegacia Especializada em Narcóticos (Denarc) divulgou, nesta sexta-feira (10), os resultados da Operação Telegrama que resultou na apreensão de 1.389 comprimidos de ecstasy e na prisão em flagrante de quatro suspeitos que estavam recebendo as drogas em suas residências, localizadas em condomínios de classe média alta, no bairro Nova Parnamirim.

Foram presos em flagrante, na última terça-feira (07), Arlisson Pereira Silva, 19 anos; Alisson Rodrigues Ferreira, 30 anos; Lucas Mlynarck Barreto, 22 anos e Pedro Aires Neto, 25 anos. A Operação, que durou quatro meses, já prendeu ao todo 12 pessoas. “As investigações começaram em fevereiro deste ano, quando foram presos três integrantes de um grupo que traficava drogas em Ponta Negra. Nossos policiais civis descobriram que parte da droga, que era vendida na capital potiguar, chegava pelos Correios, via sedex. Mapeamos toda a rota de envio e de recebimento das drogas e descobrimos as casas, nas quais estão drogas iriam ser entregues”, detalhou o delegado titular da Denarc, Ulisses de Souza.

O delegado Cláudio Henrique, adjunto da Denarc, afirmou que na última terça-feira (07), equipes da Denarc foram até as residências de três suspeitos que iriam receber os comprimidos de ecstasy e prenderam em flagrante quatro suspeitos. “Descobrimos que Arlisson Pereira era o mentor deste grupo que foi preso. Para não levantar muitas suspeitas, ele dividia as encomendas ilegais entre casas de outros comparsas.Esta última remessa de ecstasy foi dividida para ser entregue em três casas”, detalhou o delegado Cláudio Henrique. As três caixas com as drogas foram entregues nas residências de Arlisson Pereira, de Pedro Aires e de Alisson Rodrigues, que estava acompanhado de Lucas. Nas casas de Arlisson e Pedro, a Polícia também apreendeu substâncias anabolizantes.

A Operação Telegrama também conseguiu apreender 291 comprimidos de ecstasy, nesta última quinta-feira (10). A droga foi entregue em um destes condomínios de Nova Parnamirim, mas o destinatário da encomenda não estava no local. “Diante de toda esta investigação, não temos dúvidas de que estamos diante de um grupo articulado, que atuava principalmente na comercialização de drogas sintéticas”, afirmou o delegado Ulisses de Souza

0 comentários: