Policiais militares reclamam de atraso em diárias operacionais


Os policiais militares do RN vem criticando a atual gestão do Governo e a devida prioridade prometida à pasta da Segurança Pública do Estado. Com o índice de criminalidade aumentando no Estado, a população norte-riograndense vê cada vez menos policiais na rua. Isso por que, sem a realização do concurso público, o efetivo da corporação vem a cada mês diminuindo. Estima-se que a cada mês, trinta policiais militares deixam a corporação, quer seja por transferência para a Reserva Remunerada ou por solicitação do licenciamento a pedido pelo próprio policial.

Sem o aumento do efetivo há seis anos, muitas das vezes a Segurança Pública do Estado vinha intensificando o policiamento através do pagamento de diárias operacionais. No entanto, atrasadas há quase três meses, os policiais militares já não vem realizando esse serviço extraordinário voluntário devido a falta de pagamento. Reconhecendo o atraso das diárias operacionais durante solenidade de aniversário da Polícia Militar, o Governador Robinson Faria prometeu a regularização, mas não informou quando isso iria ocorrer.

"Adotamos as diárias operacionais, que agora está com um pequeno atraso depois de 1 ano e 6 meses, mas vamos normalizar", declarou o Governador. "Mas antigamente a diária operacional só era paga uma vez ou duas vezes por ano, e hoje temos a diária implementada o ano inteiro", concluiu. Sem a implementação das diárias operacionais, contudo, a escassez do policiamento já vem sendo sentido pela população que cada vez mais reclama da falta de segurança.

0 comentários: