Temer: migração de rádios reforça crença na liberdade de imprensa


O presidente da República, Michel Temer, disse, nesta segunda-feira (7), que promover a migração de emissoras de rádio do sistema AM para o FM revela a crença do governo na liberdade plena de imprensa. Para Temer, a transmissão de informação em melhor qualidade permite melhorar o debate de ideias no País.

Assinaram o termo aditivo hoje, a data que marca o Dia do Radialista, 244 emissoras de rádio AM de todo o País migrando para a faixa FM. De acordo com o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), das 1.781 rádios AM do País, 1.386 (77%) pediram para mudar para a frequência FM.

Na visão de Temer, o ato da assinatura da migração das emissoras é fundamental para a democracia. “Quando você leva adiante a ideia dessa mudança de patamar de AM para FM é porque acreditamos e louvamos a liberdade de imprensa no nosso País”, disse o presidente, em cerimônia no Palácio do Planalto. De acordo com Temer, uma comunicação melhor permite a divulgação de medidas tomadas pelo governo e a discussão dessas ideias. “A liberdade plena de imprensa é que permite o contraditório, a contraposição a muitas ideias”, afirmou.

Qualidade

A mudança de sistema garante mais qualidade de sinal e a sintonia em dispositivos móveis, como tablets e smartphones. Segundo o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, um levantamento preliminar mostra que a medida beneficia 25 milhões de pessoas. “São 25 milhões de pessoas que vão receber um serviço de radiodifusão de maior qualidade”, disse.

Dessas, 948 possuem um canal previsto no Plano Básico da Anatel e poderão migrar rapidamente. Outras 438 estão no chamado lote residual e devem esperar a liberação de espaço com o desligamento de sinais analógicos de TV no País.

Fonte: Portal Planalto

0 comentários: