Médicos cubanos vão à Justiça para continuarem trabalhando no Brasil


Pelo menos 150 médicos desertores do programa Mais Médicos lutam na Justiça para poder trabalhar no Brasil de forma independente, ou seja, fora do acordo com Cuba. Esses profissionais moveram ações contra o Ministério da Saúde, o governo cubano e a Organização Panamericana de Saúde (Opas).

A publicação informa que o advogado que os defende, André de Santana Corrêa, teme que, com a decisão de Cuba de sair do programa, ainda mais cubanos tentem, por vias judiciais, permanecer no Brasil. “Desde quarta (14) recebi muitas ligações de interessados em entrar com processo para ficar”, afirmou. “Por que eles recebem um salário menor que os outros estrangeiros se fazem exatamente o mesmo trabalho que os outros médicos?”, completou o defensor.

De todas as ações movidas por ele, diz o texto, cinco já tiveram liminares favoráveis aos médicos. “O problema é que quando chega nas instâncias superiores, indeferem porque sabem que causaria colapso econômico ao governo ter que pagar o salário integral a todos os médicos”, disse.

0 comentários: