Mãe de Zaira Cruz clama por justiça: “Mataram minha filha”


Dá para sentir o luto na voz da esteticista Maria Ozanete, de 53 anos, mãe da jovem Zaira Cruz, 22, encontrada morta dentro de um carro em Caicó. Nesta segunda-feira, pouco mais de uma semana depois da morte da filha, ela conversou com a reportagem do PORTAL NO AR, a quem externou o clamor por justiça.
“O que fizeram com ela (Zaira)? Simplesmente, mataram a minha filha. Mataram ela! Além de quererem abusar, mataram. Tem que ser feita justiça”, declarou.
Zaira era a mais nova das duas filhas de Maria Ozanete. “Era uma filha maravilhosa, dedicada, carinhosa. Um presente de Deus. Uma hora dessas, a gente sofre muito. Ela era muito especial pra mim”, lamentou.
A jovem Zaira ajudava a mãe no salão que fica em Currais Novos, onde a família mora. A cidade está distante 87 km de Caicó, onde o corpo dela foi encontrado no primeiro dia das comemorações do tradicional Carnaval caicoense.
“Ela cursava Engenharia Química na Ufersa (Universidade Federal Rural do Semi-Árido). Ia se formar no final desse ano para o início do próximo”, diz a mãe sobre a carreira da filha interrompida precocemente.
Sem querer falar sobre a investigação da morte noticiada como homicídio e tratada com sigilo pela Polícia Civil, Maria Ozanete reforça o desejo dela e da família. “A gente espera que a justiça seja feita. E vai acontecer, em nome de Jesus”.

0 comentários: