Hospital da PM poderá receber pacientes do Ruy Pereira, avalia Sesap


A Secretaria de Estado da Saúde Pública reafirmou o compromisso do Governo do Estado de garantir uma assistência de qualidade aos pacientes vasculares do Rio Grande do Norte com nenhum leito a menos dos que já existem hoje no Hospital Ruy Pereira.

“Estamos trabalhando espaços qualificados para absorver os pacientes com o mesmo perfil de atendimento do Ruy Pereira, de modo que não iremos fechar nenhum leito se não for para substituí-lo por outro de maior qualidade”, garantiu o secretário adjunto de Saúde, Petrônio Spinelly, durante reunião realizada nessa quarta-feira (23), com uma comissão de Vereadores de Natal e que contou com a cobertura da imprensa. Participaram, da reunião os vereadores Fernando Lucena, Divaneide Basílio, Dinarte Torres, Eleika Bezerra, Karla Dickson.

De acordo com Spinelly, a discussão sobre o Ruy Pereira tem se dado de forma equivocada, sob a ótica de fechamento da unidade, quando deveria ser da melhoria da assistência. “Nós temos um conjunto de leitos que estão em discussão para serem abertos e com condições mais adequadas. Mas, será feito de forma gradativa, com a ocupação por novos pacientes sem a necessidade de transferência de ninguém e sem reduzir a capacidade assistencial”, declarou.

O secretário explicou que uma das soluções encontradas será a celebração de um Termo de Cooperação com o Hospital da Polícia, onde serão abertos 30 leitos cirúrgicos vasculares, além de uma UTI com 10 leitos. A previsão é que o serviço comece a funcionar até o final da segunda quinzena de novembro.

Existem ainda outras negociações em curso. Uma delas com o Hospital Universitário Onofre Lopes, que já faz procedimentos de alta complexidade vascular, e as demais com a Prefeitura de Natal e com regiões de saúde, já que boa parte da demanda atendida pelo Ruy Pereira pode ser resolvida numa complexidade mais baixa, ou seja nos hospitais regionais, próximo onde a população reside. “Com o Onofre Lopes existirá uma contratualização, que é feita através do município de Natal. Estamos discutindo como potencializar os serviços desse hospital, mas a expectativa é de que o HUOL disponibilize, inicialmente, um total de 25 leitos”, informou.

Segundo Spinelly, embora o comprometimento da estrutura do prédio demande celeridade da solução do problema, as decisões estão sendo tomadas de forma racional, cautelosa e pactuada, respeitando todos os envolvidos no processo – pacientes, acompanhantes e servidores. Durante a reunião, Petrônio também destacou o trabalho da gestão atual da Sesap, que vem buscando construir uma assistência mais qualificada, gerando resultados positivos, apesar da escassez de recursos enfrentada.

0 comentários: