Sandero, um carro atrativo para o público jovem


O Sandero Stepway foi lançado em 2008 para introduzir a Renault no segmento dos compactos aventureiros. E primeira impressão é sempre a que fica, pelo é assim que os jovens pensam no momento de adquirir um carro zero quilômetro. No entanto, quando mais se conhece o Sandero, mais a decisão de comprar fica mais assertiva, pois em tempos de crise e com preços em alta, o Sandero Stepway é considerado um dos mais econômicos. Isso porque, em vias urbanas, ele chega a fazer 15 km/l, algo em torno de 25% a menos do que em outros modelos da Renault. Se o assunto é consumo na estrada, a quilometragem chega 17km/l. 

Ou seja, não é por acaso que ele é o preferido entre o público mais jovem. É fácil entender porque o Sandero Stepway é o favorito dentre esse público,pois além de econômico, principalmente com os motores 1.0 e 1.6 SCe, ele têm um espaço interno amplo para um veículo do seu segmento. Além disso, é muito usado pelas locadoras de automóveis, então é possível achar carros usados por ótimos preços. Sabendo que os jovens são o público que mais aluga veículos para viajar e estudar. 

O Sandero Stepway possui motor 1.6 16V de 112 cvs e 15,6 kgfm de torque a etanol, também utilizado nas versões de entrada do modelo Duster. Segundo a própria Renault, ele tem a capacidade de levar o hatch de 0 a 100 km/h em aproximadamente 11 segundos e à velocidade máxima de 177 km/h. O câmbio é um manual de 5 marchas, atualmente, o modelo recebeu também a opção de câmbio automático de 4 marchas e suspensão elevada em 50 milímetros e pneus de uso composto para capacitar o modelo em terrenos leves. As rodas de 16” receberam novo design, menos esportivas do que as vistas nas versões anteriores do Sandero, porém mais coerentes com a proposta que o Stepway tem para passar. Apenas a grade dianteira, presente no parachoque, mantiveram o plástico na cor preta do restante da peça. 

Desempenho: O 1.6 de 112 cvs do Sandero Stepway não sofre nada para empurrá-lo. A entrega de potência é bem simples e o torque máximo aparece logo a 3.750 rpm. No entanto, o motor só fica devendo em suavidade durante o funcionamento, principalmente em recursos mais elevados. 

Estabilidade: Os pneus mais amplos mantiveram o desempenho neutro do Sandero em curvas,mas a suspensão elevada não é das melhores, pois tornam o veículo sensível demais a ventos laterais. Devido a aerodinâmica irregular faz com que o hatch balance em velocidades mais altas em vias e estradas retas. 

Interatividade: Todos os comandos do Stepway são bem posicionados e de fácil manuseio. O som de entradas transmitidos por USB/Bluetooth possui botões e não demanda muito tempo para aprender os comandos. No entanto, os ligamentos do câmbio são incertos e, além disso, os comandos dos vidros elétricos deveriam ter alguma iluminação e o volante de aro estreito dificulta um pouco a dirigibilidade. 

Consumo: O consumo do Sandero Stepway com o motor 1.6 SCe e câmbio manual, chega a 8,3 km/l e 12,0 km/l à gasolina em vias urbanas e 8,5 km/l e 12,0 km/l a gasolina em vias rodoviárias. Já com o câmbio automatizado Easy’R os números são negativos, pois chega a 7,7 km/l e 11,5 km/l à gasolina em vias urbanas e 8,3 km/l e 12,0 km/l à gasolina em vias rodoviárias. 

Tecnologia: O Sandero Stepway dispõe de poucos recursos tecnológicos. Os airbags dianteiros e freios com ABS são itens opcionais, assim como o sistema de som. A plataforma é relativamente atual, derivada da terceira geração do modelo Renault Clio. A versão vem equipada, com ar-condicionado, direção hidráulica e vidros elétricos de série e ainda dispõe do câmbio automático de 4 marchas e a opção para a troca manual. 

Conforto: Espaço amplo é algo que a Sandero disponibiliza em seus modelos, o que não poderia ser diferente no Stepway. Os ocupantes não podem reclamar da falta de espaço nos assentos do veículo. Pois há espaço o suficiente para cabeça e pernas dos passageiros no banco de trás. Porém, nos bancos da frente faltam suporte lateral e para as coxas, difícil achar a posição adequada para dirigir o veículo, o que o torna um pouco cansativo. 

Espaço interno: A altura da carroceria ajuda ao entrar e sair do veículo, assim como as portas amplas e com ângulo de abertura espaçoso. O bagageiro é responsável por 320L, facilmente manuseável pelo vão existente da tampa, e em relações porta-objetos espalhados na cabine, são poucos. Há ainda apoios para cabeça para os três passageiros dos bancos de trás e um entre-eixos de 2,58m que desafoga espaço no interior do veículo. 

Acabamento: Apesar dos encaixes bem feitos no acabamento do veículo, os plásticos utilizados são de baixa qualidade, assim como o pano que reveste uma área estreita das portas. O couro, que é opcional, também deixa a desejar no quesito qualidade. Além disso, alguns itens, como os comandos de ventilação passam a impressão de fragilidade. Somente os itens citados anterior são os pontos negativos do Stepway no quesito acabamento, no restante o modelo é digno de elogio. 

Design: O efeito “off-road” foi algo positivo para o Sandero. A versão Stepway deixou o visual ponderado para aderir ao visual mais jovial, com um resultado muito significativo. Além das rodas maiores, as quais os arcos são contornados por apliques plásticos resistentes, ainda possuem um conjunto de suspensão elevada e um rack no teto que deixaram o carro mais atrativo para o público jovem. 

Custo/benefício – Entre os aventureiros, o Sandero Stepway é um dos mais acessíveis relacionados ao valor, com a versão mais simples custando aproximadamente R$43 mil, equipado com itens opcionais como airbags frontais, freios ABS e sistema de som, o valor chega a R$47 mil. Vale ressaltar, que o Sandero Stepway é o carro mais procurado na categoria de usados. Então, se você cogita adquirir o modelo, leve em consideração consultar os preços na Tabela Fipe. 

Gostou deste artigo? Compartilhe em suas redes sociais para que mais pessoas saibam porque o Sandero é um carro atrativo para o público jovem!

0 comentários: