Polícia apura se droga apreendida em avião na cidade de Catolé do Rocha pertencia ao PCC

 

A Polícia Civil da Paraíba investiga se a carga milionária de cocaína apreendida nessa quarta-feira (09) em Catolé do Rocha, no Sertão do Estado, pertenceria ao Primeiro Comando da Capital (PCC), facção presente em diversas regiões no país. A suspeita é que a droga vinha do Sudeste para ser distribuída no Sertão Nordestino a partir da Paraíba.

Segundo informações, policiais paraibanos devem ir a São Paulo fazer oitivas para elucidar a origem da carga, transportada em uma aeronave da empresa NHR Táxi Aéreo LTDA.  Além dos quatro homens presos em flagrante ao pousarem em Catolé do Rocha, a Polícia prendeu o zelador do aeródromo. Há indícios de que ele cooperava com a organização criminosa.

O grupo foi levado para um presídio de segurança máxima. A identidade da unidade, porém, não será revelada. A aeronave seguirá detida à disposição dos investigadores. Quem está à frente do trabalho, acredita que em breve os paraibanos irão conhecer grandes desdobramentos.

Apreensão da cocaína no Sertão

A Polícia Militar interceptou uma aeronave com uma carga de cocaína avaliada em aproximadamente 30 milhões de reais no aeródromo da cidade de Catolé do Rocha, que fica no Sertão da Paraíba. O entorpecente, que pesava 752 quilos, estava distribuído em trinta e duas caixas. Esta foi a maior apreensão de drogas no Estado, este ano.

O esquema do tráfico, que usou a aeronave como meio de transporte da cocaína, foi desarticulado pelas equipes do 12º Batalhão, 6ª Companhia do Batalhão de Operações Especiais (BOPE) e Força Regional, após informações de que carros estariam perto do aeródromo para receber uma carga de drogas. Os veículos ainda não foram localizados.

A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) também foi informada sobre a apreensão. As investigações devem revelar se a rota do tráfico era predominante na região Nordeste ou se fazia parte de um contexto nacional ou até mesmo internacional.

MaisPB

0 comentários: